Dicas de Museus

Esta semana falaremos sobre os Museus e casas históricas de Diamantina. Confira as nossas Dicas!

E para começar, que tal visitar o Museu Daniel Luiz do Nascimento?

Um Museu que poucos turistas conhecem ou já ouviram falar! Um local interessante e com muito história.

O Museu Daniel Luiz do Nascimento é bem pequeno, sua entrada é gratuita e possui até visitas guiadas. Mas para saber o horário dessas visitas, a sugestão é ligar antes.

museu-daniel-luiz-nascimento

No acervo do museu poderá conhecer as etapas da garimpagem, ilustradas em uma maquete do garimpo, além de ferramentas e utensílio. Conta ainda com uma casinha de bonecas com móveis em miniatura, tudo confeccionado entre 1895 e 1902.

O museu fica dentro da Pousada Relíquias do Tempo, mas está aberta ao público em geral.

Para mais informações:(38) 3531-1627
Endereço: Rua Macau do Meio, 401 – Centro – Diamantina/MG

Não tem como visitar Diamantina e não conhecer o Museu do Diamante!

Museu do Diamante

Museu do Diamante

O Museu do Diamante foi criado em 1954 junto com a Biblioteca Antônio Torres e está vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus.

Possui um acervo com objetos como armas, equipamentos de defesa, equipamentos de arte e espetáculos, equipamentos de artistas e artesãos, equipamentos de tecelagem e mineração, estampas, pinturas, esculturas, objetos pecuniários, instrumentos musicais, maquinaria, petrechos de pesca, objetos cerimoniais, comemorativos, de culto e funerário, equipamento de comunicação escrita, transporte, acessórios de indumentárias, artigos de tabagismo, toalete, adorno, objetos de devoção pessoal, instrumento de auto penitência e castigo.

Além de um acervo fotográfico composto de fotografias de personalidades de Diamantina, ruas casas e monumentos da cidade, e sobre mineração e garimpo na região.

Quando é possível visitar o Museu?

De Terça à Sábado: de 10h às 17h
Domingo: de 09h às 13h

Museu Casa de Juscelino

O antigo casarão que hoje é um museu, foi o lar de Juscelino Kubitschek dos 3 aos 19 anos de idade. A casa está localizada na Rua São Franscisco, na ladeira da Igreja São Francisco de Assis. A área foi tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), como Centro Histórico de Diamantina.

O antigo endereço da família Kubitschek, hoje é um dos pontos turísticos mais procurados na cidade.

Casa Juscelino

Aqueles que querem saber mais sobre a intimidade, a infância simples e humilde, e a vida do ex-presidente JK, vão direto para o museu Casa de Juscelino, que é auto explicativo.

A casa está dividida em dois ambientes.

O primeiro ambiente é a casa antiga, nela os turistas encontram objetos relacionados a época.
O segundo ambiente da casa, é um anexo de madeira construído no quintal, em 1994. Há um pátio a céu aberto, que dá passagem a este anexo, com bancos, placas de homenagem, uma biblioteca e até mesmo uma antiga jabuticabeira.

Endereço e horário de funcionamento
:
Rua São Franscico, 241 – Centro Histórico de Diamantina
De Terça a Sábado de 8h às 17h e aos Domingos de 8h às 13h.

Casa da Glória – Passadiço

As construções que compõem a atual Casa da Glória são de épocas e estilos diferentes. O edifício principal ou bloco II (à direita de quem sobe a Rua da Glória) é de construção setecentista cuja data exata não é conhecida.

Casa da Glória

Segundo estudos e referências a Casa da Glória, que atualmente pertence ao Instituto de Geociências (IGC) da UFMG, foi construída entre 1775 e 1800. Não se sabe ao certo o responsável pela obra, mas acredita-se que tenha sido Manuel Viana, marido de Dona Josefa Maria da Glória que residiu na casa até 1813, daí o nome “Casa da Glória”.

Um pouco sobre a história do local

No início do século XIX a Casa passou às mãos do Estado, servindo de residência para os intendentes. Em 1864, passou para o domínio da Igreja e foi transformada em sede do Segundo Bispado de Minas Gerais, tornando-se residência oficial dos Bispos de Diamantina. Por volta de 1867, com a finalidade de abrigar religiosas da ordem de São Vicente de Paulo, ocorrem algumas transformações na Casa, se tornando um Orfanato, e posteriormente o Educandário Feminino de Nossa Senhora das Dores.

Um dos cartões postais da cidade de Diamantina, o Passadiço.

Ícone da cidade de Diamantina, o Passadiço da Glória, que encanta pela sua graciosidade, foi construído para ligar as duas casas que funcionavam como educandário e orfanato. Na época, causou polêmica, mas acabou se integrando à paisagem diamantinense e acabou sendo o símbolo da campanha ‘Diamantina – Patrimônio Cultural da Humanidade’.

Em 1979, o conjunto foi adquirido pelo Ministério da Educação e Cultura para sediar o Centro de Geologia Eschwege – CGE e desde então é utilizado para ministrar cursos na área de geologia de campo e mapeamento geológico para alunos das escolas de geologia do Brasil.

Quando pode ser visitada?
Segunda a Domingo de 9h às 17h
Instituto Casa da Glória, 298 – Centro – Diamantina/MG

Casa da Chica da Silva

A casa onde viveu Chica da Silva, é uma construção imponente que chama a atenção por seus espaços grandiosos com várias sacadas de onde é possível avistar a torre da Igreja de Nossa Senhora do Carmo, que foi financiada por ela para que os escravos pudessem participar das missas.

Casa Chica da Silva

Uma das preciosidades da casa é o jardim-pomar por onde Chica da Silva costumava caminhar durante as tardes mais quentes. Construído em degraus com pedras sobrepostas, o espaço verde ocupa uma grande área no fundo da casa.

A casa abriga ainda uma exposição permanente do artista plástico Marcial Ávila que retrata em óleo sobre tela as imagens que Chica foi capaz de construir no imaginário popular.

Diamantina é a cidade da lendária ex-escrava Chica da Silva. De fato, uma mulher irresistível e dominante cuja historia já foi registrada em livros, filmes e novelas que contribuíram para mantê-la VIVA no imaginário de pessoas por todo o mundo.

Antiga Casa da Intendência

Edificado entre 1733 e 1735, o local funcionou como Casa da Intendência dos Diamantes e tinha como objetivo fiscalizar a exploração e comercialização das pedras preciosas.

A partir da segunda metade do século XIX, passou a servir como escola e atualmente é onde funciona a Prefeitura de Diamantina e a Câmara Municipal.

É belo casarão histórico com traços coloniais.

A construção, uma das mais belas obras do Centro Histórico de Diamantina, possui uma escadaria de pedra (no acesso principal) e uma fachada imponente com dezenove janelas.

Localizada ao lado do Banco do Brasil e em frente ao Museu do Diamante.

Aonde fica e quando pode ser visitado?

Rua Macau do Meio, Diamantina/MG
A Prefeitura de Diamantina funciona de 9h às 18h, de segunda a sexta-feira.

Para fechar o passeio e as Dicas da semana com chave de ouro, confira um pouco sobre o Mercado Velho e o que acontece por lá.

Mercado Velho

Mercado Velho

Antigo Mercado dos Tropeiros, foi construído em meados do séc. XIX e servia de ponto de encontro dos comerciantes para venda e troca de mercadorias vindas de outras regiões de Minas Gerais.

Até os dias de hoje exerce praticamente a mesma função, o espaço chamado de Mercado Velho ou Mercado Municipal recebe todos os sábados pela manhã a feira da cidade.

Na feirinha é possível apreciar os pratos regionais, artesanato, peças em tapeçaria, além de outros produtos típicos de Minas.

Uma excelente oportunidade para aqueles turistas que querem conhecer os verdadeiros sabores de Diamantina e região.

A noite o espaço serve de palco para a venda de pratos típicos regados a cachaça e música ao vivo.

Endereço:
Rua Joaquim Costa, 28 – Diamantina/MG

Não viu o post sobre cachoeiras e outras belezas naturais? Leia aqui.


Compartilhe:

Carnaval em Diamantina Dicas de Passeios por Diamantina: Igrejas e Catedrais